3.1.11

Nina

Apaixonada convicta pelos animais não tiveram duvidas ao delegar a mim essa tarefa:
- Cuida Luara desse gatinho.
Eu obviamente me empolguei, filhotes são sempre incríveis independentemente da espécie. Eis que vi a minha pupila, linda, olhos azuis e pelagem quase parecida com a de um leopardo, bem exótica. Ela me olhava com os seus olhos redondos que se pudessem estariam se debulhando em lagrimas e miava em alto e bom som, um miado agoniado, digno de pena. No começo pensei que o máximo que eu poderia conseguir eram alguns arranhões, comecei a minha peleja por alguma dose de afeto. Passei a mão pela sua cabeça, cocei suas costas e ela me rejeitou apesar de toda minha boa vontade, foram necessário no mínimo uns dez minutos até ela ceder, me cheirar e simplesmente gostar de mim. Daí em diante foi fácil, ela encontrou um lugar o qual gostou muito em mim, meu pescoço e enquanto eu cochilava ela permanecia lá, imóvel com os olhos fechado em cima de mim. Poucas coisas me fazem sentir tão bem como um afeto tão singelo e verdadeiro quanto o dos animais e assim se findou a história de Nina comigo, com ela dormindo sobre o meu pescoço e me fazendo mais feliz.

1 comentários:

Carol disse...

Meu apelido aqui em casa é Nina :)

 
blog template by suckmylolly.com