28.2.10

"A maturidade me permite olhar com menos ilusões,
aceitar com menos sofrimento,
entender com mais tranquilidade,
e querer com mais doçura."
Lya Luft

25.2.10

Cotas SIM!


Caros amigos pra quem não sabe, eu voltei a vida de vestibulanda, é outra vez sim, estou no cursinho ! E por aqui anda o maior burburinho em relação à adesão do sistema de cotas pela universidade federal. Ando ouvindo cada absurdo, pessoas realmente não tem esclarecimentos e embasadas em preconceitos andam distribuindo asneiras por aqui. Então em resposta a tudo que eu ouço proponho uma reflexão. Pensem comigo, é justo que uma universidade federal (de grátis) tenha em seu corpo discente quase que 90 % de alunos que podem pagar pelos seus cursos e estudaram em escolas particulares a vida toda ? Ao mesmo tempo que estudantes do sistema público de educação, de baixa renda se endividam por financiamentos ou perdem de vista qualquer oportunidade de cursar o tão esperançoso curso superior.É justo ? E os negros ? Que foram submetidos às mais desumanas humilhações, durantes décadas (imaginem o quanto se perdeu ) e depois do nada, sem nada, por nada foram libertos sem nenhum auxílio, nem se quer um pedido de desculpas, como se maltratar e aproveitar de um ser humano fosse uma coisa normal, foi tchau e pronto. E a perspectiva de vida, como começar tudo do zero? Sem credibilidade, sem confiança, sem esperanças?
É justo eu falar que não é justo deixar entrar àqueles que merecem tanto como nós uma chance ( que fora negada por toda uma existência) ?É justo eu usar da minha melhor condição pra desmerecer (até mesmo intelectualmente) alguém que não escolheu passar por isso, que não escolheu nascer em um país em que o sistema educacional é deficitário e não oferece vaga para todos que sonham em mudar o mundo. Um país que dá para os seus filhos deveres iguais e direitos diferentes. Como não achar justo, o óbvio ?!

*Hanna Luara não é cotista e em função das cotas teve a concorrência do seu curso aumentada em quase 10 candidatos por vaga, mas mesmo assim acha que o sistema de cotas é válido e é o mínimo que pode ser feito para a democratização e inclusão da maioria de estudantes injustiçados pelo sistema educacional ( de merda) do Brasil. Porém, não acha que essa seja a solução completa para este problema !

temdias : D


Tem dias que a gente acorda feliz, pula da cama, dá bom dia ao espelho, canta no chuveiro, veste a melhor roupa, usa o melhor perfume, dá um sorriso ao mendigo, chega cedo, não espera na fila, conversa com o colega, conta uma piada, fala ao telefone, tem companhia, dá gargalhadas, consola alguém, pinta o cabelo, faz uma tattoo, coloca um pircing, vê um filme, lê um livro, adota um cachorro, anda de ônibus, rola na grama, é chamado de louco beeem alto, picha um muro: “Eu sou a pessoa mais feliz do mundo...”. E acorda feliz do sonho feliz.

16.2.10


Hoje sentada em um banquinho debaixo do chuveiro, pensei em uma pergunta, pergunta que eu já havia visto antes, mas nunca dei uma resposta de sentido completo. A velha pergunta do perfil do Orkut, ”Com os Relacionamentos anteriores aprendi:”. Eu já aprendi muitas coisas, de fato,  mas nunca fiz uma análise sobre. Logo comecei a organizar tudo que eu já havia pensado, todas as minhas certezas,  sobre o bom e velho amor. E surpresa, quanta diferença. Eu mudei muito de opinião. E olha que nem se foram duas décadas de vida ainda. Mas “meu” amor de hoje é totalmente diferente do que já foi um dia .

Primeiro, antes eu achava que amor era uma coisa “exclusiva”, que se amasse alguém uma vez, iria amá-lo o resto da vida e pronto. Ninguém mais poderia ter esse mérito. Poooon. Errado, hoje eu vejo que cada um só viveu o quanto amou é mais que possível amar várias pessoas durante a vida toda. Porque o amor é bem mais abstrato e abrangente do que a nossa pequena mente possa imaginar. Amor não é um sentimento carnal, ou egoísta, amor é a maneira que Deus nos deu pra compensar a nossa imperfeição, isso, ele é o caminho da perfeição.

Segundo, Deus criou o amor o homem criou o compromisso, logo o amor é perfeito e o compromisso é falho. Sempre achei que pra ser 100 % feliz, tinha que ter alguém do meu lado, um namorado ou um marido talvez. Hoje eu entendo que isso não é nem metade dos 100%, que não adianta criar títulos pra uma coisa como o amor. Quanto mais amor mais compromisso? Nunca, o amor independe desse status.

Terceiro, o amor é livre. Quanto mais amamos as coisas, mais temos necessidades de deixá-las livres. De vê-las caminharem com as suas próprias pernas e de voltar andando pra gente. Não por necessidade, mas por querer. Os amados devem ser complemento, não totalidade na vida de ninguém. Então, ciúmes, posse... nada disso caracteriza o amor, muito pelo contrario, caracteriza o avesso dele, o amor é compreensivo e livre.

Enfim, isso não é nem um quarto de tudo que eu pensei sobre, mas é tudo que eu lembro, depois de muitas horas de sono. Mas eu sei que tudo que eu pensei, vai ser bem diferente do que eu possa pensar amanhã. O que trás outra idéia, o amor muda, não é fixo, ele se remonta de acordo com as situações. Isso é um alívio pra mim, quase um álibi, pois o amor permite que hoje você ame alguém mais que sua própria vida e amanhã você ame esse mesmo alguém como amaria um estranho.

14.2.10

Literalmente, cada um com as suas manias.


Top 20. Eu e minhas manias bizarras
Of course que todo mundo tem suas manias bizarras, alguns falam e acham graça, outros guardam e ficam magoados quando questionados. Eu sinceramente, só tenho a certeza que de louco e gênio todo mundo tem um pouco. Então porque não revelar um pouco do louco ...

1.Converso com todos os animais, mas principalmente os cachorros.
2.Antes de dormir separo os meus dedos dos pés.
3.Sempre guardo a parte que eu mais gosto da comida e como por último.
4.Converso com espelhos.
5.Sempre grito com as pessoas que estão dirigindo quando vejo um cão perto, mesmo que não esteja tão perto assim.
6.Gosto muito mais de animais do que de gente.
7.Me apaixono e sofro pelos personagens dos livros e dos filmes (aiii- ‘suspiro’- Edward)
8.Quando fico nervosa, choro e saio correndo pra um lugar onde eu fique sozinha, lugar este que eu denomino de meu cantinho da disciplina.
9.Gosto de ter opinião contrária, mesmo no fundo não tendo.
10.Escrevo compulsivamente, quando falo ao telefone.
11.Quando não tenho caneta escrevo no ar.
12.Durmo com o mesmo cobertor desde os 8 anos, mesmo já ganhando um do mesmo novinho, sinto que ele tem um valor sentimental, sonho azul o nome dele.
13.Opto sempre pelo mais difícil.
14.Obrigo meus amigos a segurarem na minha mão para atravessar a rua.
15.Como miojo cru.
16.E pão com manteiga e açúcar também.
17.Ouço brega enquanto faço faxina. (Ôh linda não demore lá no cabaré...)
18.Diagnostico e trato minhas doenças. (hipocondria)
19.Curo minha depressão lavando os pratos.
20.Durmo vendo desenhos, todo e qualquer desenho tem um poder sobrenatural de me fazer dormir.

11.2.10

Vintage





Sabe… eu gosto do jeito do envelhecido, vejo no velho um grande passatempo, uma diversão pro meu imaginário. É bom abrir gavetas esquecidas e procurar a magia que o tempo exerce sobre as coisas. Eu não tenho receio de amar o que já é antigo, pois cada objeto ultrapassado vai e se faz novo, de novo, mas um novo diferente. Pois o tempo transforma as coisas mais incertas em destino. Quebra a casca superficial, da empolgação da novidade, deixa apenas o que é essencial, a verdade que nunca vai envelhecer.

9.2.10


Tava com saudades do risinho no canto da boca,do friozinho na barriga, da diversão, de olhar e ver sempre o melhor nas pessoas. Tava com saudades dos amigos, dos desconhecidos, dos planos, dos pecados, da carência. Mais saudades ainda de ouvir música alta, de dançar, das surpresas, do colorido, do movimento, da insanidade, da liberdade, tava com saudades de mim... Mas eu voltei ...

1.2.10

...


" Ela queria companhia, mas ela se contenta com sua consciência. Só um café, uns cigarros, uma dose de algo que lhe faça acelerar os pensamentos. Ela deseja viver pelo menos um terço daquilo que pretende escrever. Ela queria que chorar fosse o suficiente pra desamarrar-lhe o nó dentro do peito. Ela queria poder vomitar tudo o que sente, desmontar o quebra-cabeça da sua cabeça e montá-lo apenas com as peças bonitas, fofas e coloridas. Ela já não aguenta mais esse mundo em escalas de cinza, ela precisa de cor. Ela precisa de preenchimento, de bordas. Ela quer seus dias em negrito e a sua vida em itálico. Ela quer amores em fonte 72, e decepções em 12. Ela quer escrever tudo em tahoma, arial e verdana. E ela quer poder apertar o backspace quando não gostar do que escrever, quando o enredo estiver fora de contexto, quando o final não for feliz. Ela só queria poder editar sua história, apagar os capítulos errados, não ter começado aqueles que acabaram mal. Ela só queria mesmo poder ser feliz."

 
blog template by suckmylolly.com